Copy
Newsletter #16
Fevereiro 2018
Investigação centrada no treino da força envolve 
atletas de elite, crianças e idosos

 
O desenvolvimento e a melhoria da força e da potência muscular em diferentes populações tem sido o foco dos trabalhos desenvolvidos por um grupo de investigadores do CIDESD. As recolhas de dados já envolveram mais de 500 pessoas, entre atletas de alto rendimento, crianças e idosos. Agora, procura-se desenvolver linhas de orientação que podem ajudar treinadores e profissionais de Educação Física a definir com maior rigor programas especificamente orientados para a maximização da força e da potência muscular.



«A melhoria da força é uma necessidade prioritária se se pretende obter o êxito na preparação de atletas e na melhoria da qualidade de vida das populações, em particular nos idosos. Contudo, como cada modalidade desportiva tem as suas necessidades relativamente à quantidade e ao tipo de treino necessário para o desenvolvimento e melhoria da força, o mais adequado não é estudar a sua aplicação caso a caso, mas tratar os princípios e leis fundamentais que regem o seu treino, para que cada treinador disponha dos fundamentos suficientes que lhe permita interpretar e adaptar de forma adequada a preparação da força como capacidade motora vital», explica o investigador Mário Marques, que tem coordenado os trabalhos de investigação.

Perceber qual a influência da velocidade e da potência muscular na melhoria do rendimento físico em atletas de elite é o objectivo de uma das linhas de investigação que tem sido desenvolvida. Nesse sentido, foram efectuadas recolhas de dados, ao longo dos últimos quatro anos, em mais de 20 nadadores de elite no  
Centro de Alto Rendimento de Natação.  

«O desenho de programas de força para desenvolver o rendimento específico é desafiante, especialmente quando se trata de atletas de alto nível desportivo. Porém, a maioria dos programas de treino, independentemente da modalidade, tem vindo a utilizar diferentes metodologias, mas quase sempre com abordagens demasiado clássicas», refere o investigador. Até agora, os estudos apontam uma grande variedade de resultados e, consequentemente, diferentes conclusões relativamente à carga óptima para desenvolver a potência muscular. «Como tal, temos vindo a produzir conhecimento científico de alto nível para minimizar esta problemática», acrescenta.

Uma segunda linha de investigação contempla a aplicação de programas que utilizam a velocidade de execução como parâmetro “critério” para o desenvolvimento e melhoria da força e da potência muscular nos idosos. Sobre o tema, Mário Marques refere que os
estudos recentemente publicados têm contribuído «de forma ímpar» para a definição e organização das variáveis de treino (sobretudo a intensidade), ficando cabalmente demonstrando que o treino de força com cargas de magnitude médias/baixas de alta velocidade de execução é eficaz para a melhoria da performance muscular, contribuindo para a manutenção da independência e qualidade de vida
 
Fruto da colaboração com Mikel Izquierdo, investigador do Centro de Estudios, Investigación y Medicina del Deporte da Universidade Pública de Navarra, os investigadores do CIDESD conseguiram avaliar a melhoria da força e da potência muscular em mais de 100 idosos institucionalizados desde 2013. «Também temos intensificado a colaboração com o Centro de Investigación en Rendimiento Físico y Deportivo (CIRFD) da Universidade Pablo de Olavide, com uma incidência muito particular sobre a relação entre os ganhos de força sobre diferentes indicadores de rendimento em mais de uma centena de jovens jogadores de futebol da División de Honor Juvenil de España», avança Mário Marques.

Em paralelo, os investigadores
Daniel MarinhoMário MarquesMikel Izquierdo, Henrique Neiva, Ana Alves e António Sousa têm-se empenhado em compreender a complexidade do treino concorrente em crianças e jovens.
«Temos como objectivo maior perceber quais os efeitos de diferentes combinações do treino de força com o de resistência sobre indicadores da força explosiva e da capacidade aeróbia. Nesse sentido, temos vindo a minimizar, de forma inequívoca, alguns dos resultados controversos expressos na literatura, nomeadamente em contexto escolar», asseguram. Só nos últimos oito anos, este estudo do treino combinado de força e de resistência em crianças e jovens envolveu a participação de mais de 300 alunos de escolas públicas da região Centro.
Intercâmbio em prol da tecnologia
 
Já vem de 2011 a colaboração da equipa do CIDESD com  a empresa ERGOTECH Consulting, SL, com vista ao desenvolvimento e evolução do software do sistema T-FORCE Dynamic Measurement System, nomeadamente no que respeita ao controlo e desenvolvimento do treino da força muscular. «Esta tecnologia mede, em tempo real e com elevado rigor científico, diferentes parâmetros de força que podem ser utilizados não só para a sua avaliação, mas sobretudo como 'ferramenta' de controlo e doseamento de cargas em contexto de treino», explicam.
Os investigadores do CIDESD têm implementado esta tecnologia (entre outras) para medir a força em idosos, jovens e crianças, já que a maioria dos estudos tem «optado por processos de medição mais conservadores e algo desajustados ao rigor científico que se exige para uma melhor prescrição do treino de força». «Tal como refere o professor Juan José González-Badillo, se pudéssemos medir a velocidade máxima de execução para cada exercício, diariamente e com a informação imediata, seria provavelmente o melhor ponto de referência para saber se o peso deslocado era o mais adequado para qualquer indivíduo/atleta. Deste modo, saberíamos com maior segurança qual a intensidade real do esforço na aplicação de programas de treino de força», refere Mário Marques.
Produzidos em colaboração com os professores Juan José González-Badillo, Luis Sánchez-Medina e David Rodriguez Rosell, os estudos do CIDESD indicam de forma clara que este processo permite uma melhor individualização do treino, especificamente em atletas de alto nível.
«Percebi a importância da aplicação do treino combinado em contexto escolar, já que as melhorias da condição física e de rendimento em geral foram determinantes para desenvolver modelos matemáticos para a sua compreensão. Por isso, escolhi este tema para o meu doutoramento.»
 
Ana Alves
«O tema central da minha tese de doutoramento é perceber a importância da aplicação de diferentes tipos de treino de força em estudantes de educação física através da orientação das cargas em função da velocidade de execução quando controlada de forma semanal.»

António Sousa
| Notícias |
«Physiological & Psychological Development of Players» foi o tema abordado pelo director do CIDESD, Jaime Sampaio, no ECA CMP - European Club Association Club Management Programme, que decorreu em Bilbao, a 9 e 10 de Janeiro. Nesta conferência, foram abordados os métodos mais avançados de análise do rendimento individual e colectivo, suportados por aplicações tecnológicas para medição e processamento de dados, tendo estado presentes vários responsáveis de clubes europeus como RSC Anderlecht, AC Milan, SL Benfica, Galatasaray FCManchester United FC.    


 
A tese de doutoramento intitulada «The spawns of creative behaviour: Exploring the role of enrichment environments to foster creativity in team sports» foi defendida pela investigadora Sara Santos, a 12 de Janeiro, na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. O júri deliberou, por unanimidade, atribuir a estas provas públicas de doutoramento a classificação de "Muito Bom”.  «Este trabalho teve como objectivo explorar a influência de programas de treino no desenvolvimento da criatividade em jogos desportivos colectivos, considerando os pressupostos teóricos do Creativity Developmental Framework. O respectivo Framework sugere abordagens promissoras que, quando conjugadas, permitem fomentar o comportamento criativo a longo prazo. A diversificação desportiva sustentada em actividades não estruturadas, em pedagogias não lineares e no pensamento divergente assumem um papel de destaque. Esta tese distingue-se pelo facto de fornecer orientações pioneiras que devem nortear as práticas dos treinadores, no sentido de expandir o potencial criativo dos seus jogadores», resumiu a investigadora do CIDESD.
O director do CIDESD, Jaime Sampaio, participou no IV Encontro Nacional da Rede de Serviços Desportivos das Instituições de Ensino Superior (ENRSDIES), que decorreu na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, de 16 a 18 de Janeiro. A sua intervenção enfatizou os factores que justificam a «necessidade inadiável das instituições de Ensino Superior integrarem competências relacionadas com a promoção de estilos de vida activos e saudáveis nos planos curriculares de todas as licenciaturas».
O projecto do Talentódromo Desportivo de Vila Real continua a ser alvo de interesse científico por parte de investigadores internacionais. A 18 de Janeiro, Carlos Cotano Bayón, aluno da Escuela Universitaria Real Madrid - Universidad Europea, cruzou a fronteira para conhecer, de perto e melhor, todos os detalhes do projecto. Carlos Cotano Bayón teve a oportunidade de acompanhar as sessões de treino dos atletas de basquetebol Guilherme Vilela e Gonçalo Morais, orientados pelos treinadores Jorge Arede e Nuno Mateus.

O investigador do CIDESD Daniel Marinho coordenou os trabalhos de mais uma sessão de avaliação e controlo do treino de nadadores residentes no Centro de Formação Desportiva para o Alto Rendimento de Rio Maior. «É extremamente gratificante podermos aplicar alguns dos principais dados que temos vindo a estudar em situações concretas e objectivas do processo de treino, principalmente quando temos a oportunidade de desenvolver estas parcerias com os melhores nadadores nacionais presentes no Centro de Treino», referiu o também responsável pelo Gabinete de Avaliação e Controlo do Treino da Federação Portuguesa de Natação.
Realizada a 24 de Janeiro, esta sessão permitiu avaliar parâmetros fisiológicos e biomecânicos determinantes do rendimento desportivo em natação, permitindo obter dados para a prescrição e controlo mais rigorosos do processo de treino.










 

A convite da Universidade de Stellenboschos investigadores do CIDESD Luís Vaz e Paulo Vicente viajaram até à Cidade do Cabo, na África do Sul, para partilhar os seus conhecimentos sobre as modalidades de râguebi e voleibol com os alunos daquela instituição. «Tivemos oportunidade de participar na apresentação de Mestrado na área do rugby, com ligações à Austrália e à Nova Zelândia. Leccionámos aulas a estudantes de Mestrado envolvidos no treino e investigação, tendo como foco a análise da performance nos Jogos Desportivos Colectivos, a intervenção no desenvolvimento da criança entre os 4 e os 12 anos, bem como a intervenção no Voleibol de Praia com recurso aos GPS em competição», referiu o investigador Paulo Vicente.
A estadia, que se prolongou de 18 a 25 de Janeiro, foi ainda aproveitada para conhecer os trabalhos desenvolvidos na 
Stellenbosch Academy of Sport, a residência permanente dos Springboks Sevens (masculinos e femininos), e a visita ao Centro de Rugby Western Province. «Podemos observar e participar no treino de preparação para o Super Rugby da equipa dos Stormers e contactar com o treinador principal Robbie Fleck, antigo Spingbok, e toda a sua equipa técnica. Durante a estadia, fomos ainda recebidos por Peter de Villiers, antigo seleccionador dos Springboks, na sua casa, tendo aproveitado para conversar sobre a importância dada à análise do jogo no lado mais profissional do rugby atual», revelou o investigador Luís Vaz.

Foi na cidade de Pécs [Hungria] que a investigadora do CIDESD Ana Conceição participou, a 20 de Janeiro, na conferência "Applications of EMG in Swimming: Challenges and Solutions". O convite surgiu por parte da SportMed e Federação Húngara de Natação. «Esta conferência foi fundamental, pois permitiu tentar uma aproximação entre a ciência  e o processo de treino, sensibilizando treinadores e técnicos de natação para a importância da utilização de indicadores biomecânicos para a optimização do treino, com vista à diminuição de lesões nos nadadores. Durante e após a conferência, existiram vários momentos de debate entre investigadores, treinadores e membros da Federação Húngara de Natação, o que foi extremamente enriquecedor para todos os presentes.»
Nos dias que se seguiram, a investigadora esteve também envolvida em recolhas de dados para um projecto de investigação no âmbito da Biomecânica da Natação.



| Publicações |

«Exploring the effects of playing formations on tactical behaviour and external workload during football small-sided games», in Journal of Strength and Conditioning Research

«
Ecological validity and reliability of an age-adapted endurance field test in young male soccer players», in Journal of Strength and Conditioning Research

«
Exploring Game Performance in NBA Playoffs», in Kinesiology

«
Contribution of limbs’ actions to the four competitive swimming strokes: a nonlinear approach», in Journal of Sports Sciences

«
Osgood-schlatter Disease Diagnosis by Algometry and Infrared Thermography», in The Open Sports Sciences Journal

«
Reasons for dropout in swimmers, differences between gender and age and intentions to return to competition», in The Journal of Sports Medicine and Physical Fitness 

 
«
Associations of Quadriceps Torque Properties with Muscle Size, Attenuation, and Intra-Muscular Adipose Tissue in Older Adults», in The Journals of Gerontology

«
Physical activity levels and functional fitness in older adults in the Alentejo region, Portugal», in Revista Ibero-Americana de Saúde e Envelhecimento
| Agenda |


 
Eventos:

The Future of Sport | Londres - Inglaterra | 8 Fevereiro
Seminário Internacional de Desporto de Natureza e Aventura | Melgaço - Portugal | 15-16 Fevereiro

Congresso Internacional de Demências | Belas - Portugal | 22-23 Fevereiro
Congresso Português de Hipertensão e Risco Cardiovascular Global | Vilamoura - Portugal | 22-25 Fevereiro
MIT Sloan Sports Analytics Conference | Boston - EUA | 23-24 Fevereiro
Seminário Desafios na Formação de Treinadores | Rio Maior - Portugal | 28 Fevereiro
Congresso da Associação de Treinadores de Triatlo de Portugal | Rio Maior - Portugal | 28 Fevereiro
Nutrition in Athlete Development Summit | Barcelona - Espanha | 1-2 Março
Sport Events Congress | Halifax - Canadá | 7-9 Março
Sports Medicine Winter Summit | Park City - EUA | 7-11 Março
Congresso Português de Diabetes | Vilamoura - Portugal | 9-11 Março
Sports Science Summit | Vila Real - Portugal | 17-18 Março

Encontro Renal | Vilamoura - Portugal | 22-24 Março
Congresso Internacional de Psicologia da Criança e do Adolescente | Lisboa | 18-19 Abril
Congreso Internacional Marca, Territorio y Deporte | Castelló de la Plana - Espanha | 17-18 Maio

European Congress of Endocrinology | Barcelona - Espanha | 19-22 Maio
Ageing Congress | Coimbra - Portugal | 27-29 Maio
European College of Sport Science | Dublin - Irlanda | 4-7 Julho



Formações:
Copyright © 2018 | CIDESD
         
         


   
 
* Caso não queira receber mais newsletters do CIDESD, por favor, responda a este e-mail com o assunto "remover"






This email was sent to <<Email Address>>
why did I get this?    unsubscribe from this list    update subscription preferences
CIDESD - Centro de Investigação em Desporto, Saúde e Desenvolvimento Humano · Quinta de Prados · Vila Real 5001-801 · Portugal

Email Marketing Powered by Mailchimp