Copy
Agosto 2016
“Bem-vindo, agosto!”

É com enorme prazer que a equipe da ProExC voltas às atividades para continuar os informando sobre os projetos de extensão e iniciativas culturais da UFPE. 

Neste mês de retomada às aulas, o “Notícias da PROExC” voltou com tudo, cheio de novidades para você.

Confira!
ACONTECE

Projeto de extensão realiza exposição de documentos históricos na Faculdade de Direito
              

Entre 10 de agosto e 9 de setembro, acontece no hall da Faculdade de Direito do Recife (FDR) a exposição Ensino Compendiário no Curso Jurídico Pernambucano Oitocentista. A exposição traz ao público compêndios (documentos que sintetizavam teorias jurídicas) do século 19 produzidos por lentes do curso jurídico pernambucano e pertencentes ao acervo de obras raras da Biblioteca Setorial da Faculdade de Direito do Recife. A exposição é um evento organizado pelo projeto de extensão Memória Acadêmica que visa incentivar ações de resgate da cultura jurídica e da memória acadêmica e institucional.

O método “sintético-compendiário-demonstrativo” partia de preceitos gerais mais simples e de fácil compreensão aos alunos no ensino jurídico. Surgiu no século 18, em Portugal, como parte das ações de reafirmação do poder do Estado, em detrimento ao da Igreja. Com um pensamento do Direito de forma mais prática, racional e utilitária, o sistema teve rápida adesão nas instituições de ensino brasileiras. 

Sob coordenação do professor Humberto Carneiro Filho, que também realizou a curadoria da exposição, o projeto Memória Acadêmica propõe contribuir com a política de preservação do patrimônio cultural da Faculdade de Direito do Recife, facilitando o acesso da comunidade a parte do seu acervo histórico.
 


Médicos Sem Fronteiras realiza debates e palestras na UFPE


       
  

No início deste ano, um bombardeio em Aleppo, a maior cidade da Síria, matou 27 pessoas, dentre os mortos, três crianças e três médicos. Em 2015, 106 bombardeios aéreos atingiram 75 hospitais da Médicos Sem Fronteiras, sendo 64 apenas na Síria. Nesse contexto de guerras se faz necessário tomar medidas para reverter o sofrimento causado em inocentes. Com o objetivo de estimular a reflexão e o diálogo sobre as complexas situações sociais, políticas e éticas da atualidade, a ONG, em parceira com a UFPE, vai promover uma série de palestras e debates nos Campus de Recife e Caruaru em torno do tema “crises humanitárias”, entre 29 e 31 de agosto.

Dia 29, no Campus Recife, acontece a palestra “Crises humanitárias – determinações socioeconômicas, ético-políticas e culturais”, realizada pelo professor Marcos Costa Lima do Departamento de Ciências Sociais, além de um bate-papo com profissionais da Médicos sem Fronteiras. No dia seguinte, o professor do Departamento de Filosofia Sandro Sayão conduz a palestra “Crises humanitárias – somos todos responsáveis pelo que acontece no mundo” seguido da exibição do documentário lançado em 2015 pelo diretor Peter Caeser. Ambas palestras acontecem no auditório Jorge Lobo, no Centro de Ciências da Saúde (CCS). 

Além do bate-papo com integrantes da ONG, dia 31, no campus Caruaru, também acontece a exibição do documentário “Caminhos da Vacina”. Idealizado pela MSF, o documentário mostra os caminhos que conectam o armazém de suprimentos, na Bélgica, a vilarejos do Congo, percorrido por dois profissionais brasileiros.

Foto: Vicky Markolefa/MSF


Mais Informações
http://www.msf.org.br/
PROExC - 2126-8133

 


Alunos selecionados pela Bolsa de Incentivo Acadêmico recebem orientações sobre o programa

       
 

Os alunos recém-ingressos na UFPE selecionados pela Bolsa de Incentivo Acadêmico (BIA) foram recebidos hoje (15/08), no auditório da Cecine, pelo coordenador executivo do projeto, Klener Santos, para receberem orientações do programa. A BIA é uma parceria entre a UFPE e a Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (FACEPE) que tem o objetivo de contribuir para a ampliação e manutenção de alunos vindos do ensino público.
Os 50 alunos que obtiveram as melhores notas em cada curso no vestibular da UFPE receberão uma a bolsa de estudo, desde que permaneçam integrados a um projeto de extensão da área de conhecimento do seu curso.

Para a Pró-reitora de Extensão e Cultura, Christina Nunes, as iniciativas de incentivo de alunos oriundos de universidades públicas são importantes. “Eles já são vencedores. Antigamente, não havia tantos estudantes vindos de escolas públicas em universidades federais, hoje isso já se tornou algo comum. E é importante que seja comum”, disse. É comum os alunos a princípio não se familiarizarem com o ambiente acadêmico, tanto que o primeiro ano de curso é o que há maior evasão de estudantes. A bolsa é um instrumento de incentivo ao aluno, mas a parte mais importante é ele se engajar com as atividades da UFPE. “Quero que eles se sintam acolhidos aqui.”, completou.

“Foi uma surpresa muito boa ter sido selecionada. Isso é um incentivo muito grande, principalmente para mim que sou interessada em pesquisa acadêmica”, disse Aline Rodrigues, estudante de Ciências Biológicas. 

As reuniões no campus de Vitória e Caruaru acontecem nas próximas quinta e sexta-feira, respectivamente.

 


NEPHSA realiza "I Seminário Internacional Questão Urbana" no CCSA
              

O Núcleo de Estudos e Pesquisa em Habitação e Saneamento Ambiental (NEPHSA) realiza, em parceria com a UFPE, o “I Seminário Internacional Questão Urbana”, que traz como tema “Habitação, Desigualdades Socioespaciais e Territoriais na Contemporaneidade”. O evento acontecerá nos dias 17 e 18 de agosto, no Auditório Denis Bernardes (CCSA - UFPE).

Na manhã do dia 17 o credenciamento começa a ser feito a partir das 7h30. O evento acontece nos turnos da manhã e da tarde, às 8h30. Confira a programação completa AQUI.

 


UFPE promove eventos em comemoração aos seus 70 anos

                     
 
Em celebração aos 70 anos da Universidade Federal de Pernambuco, neste mês de agosto, a UFPE promove um conjunto de eventos para festejar mais um ano de sua existência. O intuito das celebrações é fortalecer a Universidade para os desafios que estão por vir.

A abertura terá início no dia 11 (Auditório João Alfredo (Reitoria), a partir das 9h30; e Salão Nobre da Faculdade de Direito do Recife, às 19h) e terá continuidade nos dias 12 (Campus Joaquim Amazonas da UFPE, a partir das 9h30), 14 (Teatro de Santa Isabel, às 19h) e 15 (Biblioteca Central, Auditório 3, às 16h).

A programação é parte do conjunto de eventos preparados para a comunidade acadêmica e a sociedade pernambucana.
 
Para acessar a programação completa clique AQUI.

 


Terceiro Encontro de Museus indígenas em Pernambuco acontece
no município de Buíque

              

 
O Terceiro Encontro de Museus Indígenas em Pernambuco acontece entre 15 e 19 de agosto, na terra indígena Kapinawá, em Buíque-PE. Organizado pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Etnicidade (NEPE/UFPE), é um evento bienal que reúne pesquisadores, indígenas e gestores públicos para dialogar sobre coleções etnográficas, museus indígenas e políticas culturais no diálogo com o Estado. 


Neste ano, o encontro acontece junto com o Segundo Fórum Nacional de Museus Indígenas, uma promoção da Rede Indígena de Memória e Museologia Social, que congrega iniciativas de memória e processos museológicos protagonizados por populações indígenas. A iniciativa conta com apoio do Museu do Homem do Nordeste/Fundação Joaquim Nabuco (MUHNE/FUNDAJ), do Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM) e do Museu do índio/FUNAI-RJ.


 


Mão Dupla: exposição e shows no Centro Cultural Benfica
 
         

O evento Mão Dupla promove exposição do artista plástico Eudes Mota e shows do músico Matheus Mota, pai e filho juntos numa mostra com suas mais recentes produções. O evento acontece no Centro Cultural Benfica (Rua Benfica, 157, Madalena), entre os dias 12 de agosto e 22 de setembro.

A exposição do artista plástico Eudes Mota estará disponível de segunda a sexta, das 9h às 12h e das 14h às 17h. A entrada é gratuita. Os shows acontecem nos dias 18 e 25 de agosto e também nos dias 8, 15 e 22 de setembro, sempre às 20h30. A entrada é única e custa R$ 15.

Sobre os artistas:

O músico Matheus Mota desenvolve um variado trabalho de composição inventiva desde 2004, tendo lançado os discos “Volta ao mundo de bicicleta” (EP, 2009), “Desenho” (2012) e “Almejão” (2014). Sua música está calcada na mistura de ritmos e harmonias atípicas, aliadas a uma poética que vai do universo da cultura de massa às recentes manifestações da música contemporânea brasileira.

Com mais de 50 anos de carreira, Eudes Mota se recicla a cada nova abordagem em que se arrisca. Mais recentemente através da arte digital e da fotografia. As recentes séries “Paisagem”, “Caos”, “Classificados”, “Vagas”, entre outras, trafegam em poéticas da cidade, reapropriações e ressignificações de elementos geométricos e abstratos presentes no cotidiano no dia a dia para criar novas finalidades de forma, aplicação e poética em um encontro no Instituto de Arte Contemporânea (IAC) e Teatro Joaquim Cardozo – ambos reunidos no Centro Cultural Benfica.

Mais informações
teatrojcardozo@yahoo.com.br
ufpe.iac@gmail.com

 
ACONTECEU

Professores debatem obras de cientistas sociais no Centro de Educação

       
                                                           Foto: Gilberto Freyre - Fonte: One Vision. Via One Health

O seminário "O pensamento social brasileiro", promovido pelo Núcleo de Estudos Eleitorais, Partidários e da Democracia (NEEPD), ocorrerá entre os dias 8 e 15 de agosto, das 14h às 18h, no auditório do Centro de Educação (CE), na UFPE.

No evento, os professores do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) Eliane Veras, Ricardo Santiago, Michel Zaidan Filho, Patricia Felix e Maicon Vasconcelos discutem as obras dos mais importantes autores das Ciências Sociais, como Gilberto Freire, Caio Prado júnior, Sérgio Buarque de Holanda, Celso Furtado e Manuel Bomfim. Ao fim de cada mesa, os participantes vão receber certificados de participação.

Além das rodas de conversas, também vai ocorrer o lançamento dos Livros “Adversidades Federais de Pernambuco – Reflexões sobre vivências e sobrevivências acadêmicas na UFPE”, do professor Michel Zaidan Filho, e “Como Escrever a História: Ensaios”, organizado pelo professor Maicon Vasconcelos.
 

Contracantos e Contraventos apresentam “Povo Brasileiro: Cantos do Nordeste”

Por Ascom Adaptado

O musical “Povo Brasileiro: Cantos do Nordeste”, realizado pelos grupos Contracantos e Contraventos, esteve de volta a Recife para mais um espetáculo. A apresentação aconteceu no dia 14, às 19h, no Teatro de Santa Isabel, como parte das celebrações dos 70 anos da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). O evento foi gratuito e 50% da bilheteria esteve disponíveis para o público geral. O musical ainda contou com programas impressos em braille.

Após uma exitosa turnê na França, em junho, esta foi a primeira vez que o espetáculo foi mostrado no Recife, sua terra natal. O projeto, que conta com patrocínio do Funcultura, foi concebido e roteirizado pelos músicos e professores da UFPE Flávio Medeiros e Luiz Kleber Queiroz, que assinam também a direção musical e direção cênica, respectivamente.

A concepção do espetáculo, baseada em pesquisa e elaboração de repertório coral, procurou levantar peças musicais influenciadas pelas três matrizes culturais do Brasil – a africana, a indígena e a europeia – e toma Pernambuco como ponto de partida. Do maracatu ao frevo, passando pelo bumba-meu-boi, caboclinhos, ciranda, cordel, coco, e pelos ideais de Ariano Suassuna – criador do Movimento Armorial –, surgem os versos, as cores, as melodias, os ritmos e as harmonias para compartilhar um pouco da cultura pernambucana.

A presença da tradição religiosa e dos brincantes, encontrados nas manifestações nordestinas, inspirou a elaboração de cenas que remetem ao Sertão e às praias. O espetáculo se inicia com um frevo de bloco, caminha pela beleza exótica das paisagens do Sertão, mergulha nas canções e danças das mornas águas de litoral, carrega a energia da pulsação do ritmo africano e retorna à alegria do frevo e do Carnaval de Recife, sem esquecer a sonoridade peculiar dos pífanos, da melancolia dos aboios e dos versos rimados dos cordéis, tão característicos.

O repertório apresentado transita entre o erudito e o popular e traz obras musicais de importantes compositores pernambucanos. Destacam-se os arranjos e composições de integrantes dos grupos, como a suíte Afro Brasileira com arranjo de Lucia Helena Cysneiros e as peças instrumentais de Edson Pedro e Carlos Silva.

CONTRACANTOS

O grupo vocal Contracantos foi criado em 2002 pelo maestro Flávio Medeiros, professor da UFPE, e, durante os anos seguintes, tornou-se um dos principais grupos vocais do Nordeste brasileiro realizando concertos pelo país e pelo exterior (França, Suíça e Estados Unidos). O grupo transita por repertórios variados que vão do erudito ao popular, em concertos a cappella ou acompanhados por orquestras sinfônicas ou grupos de câmara. Realizou, entre 2002 e 2014, inúmeros concertos em teatros, igrejas e escolas, do Nordeste. Participou de importantes festivais como o Lotus World Music & Arts Festival (EUA), Mimo (Mostra Internacional de Música de Olinda), o Virtuosi Internacional, o Virtuosi Brasil e o Virtuosi na Serra.

Atualmente é composto por 17 cantores, todos com formação especializada: Fábia Sobral, Maria Aida Barroso, Sue, Tarciana Damião, Tarcyla Perboire (sopranos), Adriana Carla, Lúcia Helena, Mariane Mariz, Surama Ramos, Virgínia Cavalcanti (contraltos), Eudes Naziazeno, Isaac Pedro, Jadiel Gomes, Matheus Soares (Tenores), Luiz Kleber Queiroz, Guilherme Jacobsen, Osvaldo Pacheco (baixos).

CONTRAVENTOS

O grupo instrumental Contraventos foi criado em 2013, por músicos atuantes no cenário musical pernambucano, com formação erudita e popular, para atuar junto ao grupo Contracantos. Sua formação instrumental possibilita novas combinações e texturas sonoras, fomentando a pesquisa, composição e criação de arranjos da música nordestina. Atualmente é composto por seis músicos: Carlos Silva (clarinete), Ecenilson Dias (flauta transversa), Edileusa Tavares (saxofone), Edson Silva (trompa), John Mello (percussão) e Taina Menezes (percussão).
 

Pré-Vestibular Solidário realiza mais um curso intensivo


 
Estiveram abertas até o dia 9 de agosto as inscrições para o curso Intensivo Enem do Pré-Vestibular Solidário da UFPE. O projeto é vinculado à Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Universidade e Coordenação Setorial de Extensão. As provas foram realizadas no dia 14 de agosto no Centro de Educação (CE-UFPE). 

O curso disponibiliza 40 vagas e tem como foco as disciplinas de português, matemática e atualidades, conta com uma programação especial com todas as dicas para que o candidato ao exame seja aprovado. Para saber mais, visite o site do Vestibular Solidário.

Mais informações
Vestibular Solidário
9 8623.8937
9 8625.2154

CECINE promove Mostras de práticas de Ensino Inovadores na Educação Básica no mês de agosto
   
       

A Coordenadoria do Ensino de Ciência do Nordeste (CECINE) promoveu o projeto “Mostras de práticas de ensino inovadoras na educação básica”, em comemoração aos seus 50 anos e também dos 70 anos da UFPE. Professores de escolas públicas do Estado e dos municípios foram convidados para socializarem as práticas de ensino inovadoras que eles usam em sala de aula. As atividades aconteceram nos dias 08 e 09 de agosto, em duas sessões divididas em manhã e tarde.

Foram disponibilizadas 80 vagas por área do conhecimento: Biologia/Ciências, Física, Matemática, Química, Tecnologias. Os trabalhos foram apresentados no auditório da Cecine/UFPE e tiveram até 15 minutos de apresentação. Dentre eles, a proposta da área de conhecimento das ciências, “Confecção de sabão com sobras de óleo de cozinha”, da professora Lidiane Almeida, e da área de tecnologia, “Entrevista literária: leitura, tecnologia e criatividade a serviço da educação”, do professor Júnior Antônio Gomes, foram expostas.

O objetivo do projeto foi contribuir para a formação continuada de professores da educação básica e inicial de licenciando. Todos os ouvintes presentes receberam declaração de participação.

Mais Informações
2126.7030
 

Grupo de Trabalho de Curricularização se reuniu para debater a creditação da extensão nos cursos da UFPE
   
        

O Grupo de Trabalho de Curricularização (GT de curricularização) se reuniu no último dia 29/07, na Coordenadoria de Ciências do Nordeste (CECINE) para analisar a implantação da extensão na matriz dos cursos da UFPE. A proposta tem o objetivo de solidificar a presença da extensão no tripé Ensino, Pesquisa e Extensão, em cumprimento às diretrizes do Plano Nacional de Educação (PNE), que indica para a Meta 12, estratégia 12.7 a reserva mínima de dez por cento do total de créditos exigidos para a graduação em programas e projetos de extensão universitária.

Nesta ocasião, com as presenças da Pró-reitora, Christina Nunes, e da diretora de extensão, Juliana Souza de Oliveira, foi apresentada a metodologia que a Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Rio de Janeiro utiliza para creditação da extensão. Entre 13 e 14 de julho, integrantes do GT realizaram visita técnica, com o intuito de conhecer pessoalmente o processo de creditação das atividades de extensão realizadas à UFRJ. 

UFPE com inscrições abertas para cursos voltados às pessoas da terceira Idade
     
             

A Universidade Aberta à Terceira Idade (UnATI/UFPE) teve inscrições abertas para os cursos do segundo semestre. Com um total de 400 vagas em 19 diferentes cursos, as inscrições aconteceram até 06 de agosto. Os interessados puderam se inscrever em um curso cada e a idade mínima exigida foi de 60 anos.

Foram várias opções de cursos totalmente gratuitos, ministrados por docentes, técnicos, alunos de pós-graduação e graduação, além de voluntários externos a UFPE. As atividades acontecem no Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA), UnATI e no Centro de Convivência. Para acessar a relação nominal dos cursos, clique AQUI

A UnATI/UFPE  é um programa de extensão vinculado ao Programa do Idoso (PROIDOSO) da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (PROExC) da Universidade Federal de Pernambuco.

Mais informações
Coordenação do PROIDOSO
2126.7366

Projeto Saber Envelhecer Bem abre vagas para o segundo semestre
       

As atividades do Projeto Saber Envelhecer Bem, desenvolvido pelo Centro Benfica para o público idoso a partir dos 60 anos, acontecem todas as terças-feiras pela manhã e nas quartas-feiras à tarde, de março a dezembro.

O Projeto tem como objetivo proporcionar ao público idoso reflexões sobre a arte de envelhecer bem, despertando-os para o autoconhecimento. Ações como aulas teóricas com leitura e interpretação de texto, grupo de meditação com visualização criativa e relaxamento e atividades de entretenimentos, como visitação a museus e cinema. Para acessar a programação completa clique AQUI.

Mais informações
Cetro Cultural Benfica
3227.0657
 

Chega ao fim as aulas da primeira turma do curso de Astronomia da Cecine 


No dia 29/07, chegaram ao fim as aulas da primeira turma inscrita no curso de introdução à astronomia oferecida pela Coordenadoria do Ensino de Ciências no Nordeste em parceria com a UFRPE.  Durante um mês, os alunos tiveram contato com assuntos como "história da astronomia" e "astronomia em Pernambuco", além da oportunidade de manusear instrumentos astronômicos, como telescópios.   

Para o professor Antônio Carlos Miranda, da UFRPE, responsável por ministrar as aulas, o curso terminou com saldo bastante positivo, pois há fila de espera para turmas a serem realizadas em agosto e setembro. “Foi espetacular. A começar pelo grande número de inscritos. Além disso, muitos alunos saíram tão empolgados que estão até comprando os seus próprios telescópios. Outra coisa que ficou como herança do curso foi a criação de grupos tanto no Whatsapp quanto no Facebook, para continuarmos a discutir e compartilhar informações sobre astronomia”, disse.  

         

Além de oferecer noções básicas de astronomia para qualquer pessoa que tivesse interesse em participar, sejam estudantes dos ensinos médio ou superior, professores ou membros da comunidade em geral, a atividade também proporcionou o “turismo astronômico”, em que os alunos fizeram visita técnica de campo a pontos da história da Astronomia no Recife Antigo e no Alto da Sé de Olinda.

Mais informações
Cecine
2126.7030

Última sessão do CineCiclo Benfica amplia debate sobre regimes ditatoriais

  

O Centro Cultural Benfica, através da ProExC e do Cineclube CineCiclo, realizou durante todo o mês de julho a segunda edição do CineCiclo. Sob o tema "Regimes ditatoriais: ações e reações", o evento aconteceu no Teatro Joaquim Cardozo, espaço vinculado ao Centro Cultural Benfica, com entrada gratuita. A cada sábado foram exibidos um curta e um longa-metragem que abordavam temas ligados a sistemas políticos, ditaduras e resistências.

Os filmes “Videogramas de uma revolução”, de Harun Farocki e Andrei Ujica; “Muito Além do cidadão Kane”, de Simon Hartog; e “Utopia e barbárie”, de Silvio Tendler, são umas das atrações que foram exibidas. Ao final de cada sessão, uma troca de ideias era promovida pelos organizadores do projeto de forma a discutir sobre a temática abordada.

No último dia da segunda temporada do CineCiclo, o filme "Batismo de Sangue", de Helvécio Ratton, fechou o evento com chave de ouro. O estudante de engenharia (UFPE) Henrique Santos acompanhou as atrações durante todos os sábados do evento,  falou sobre a importância da temática abordada nesse ciclo. "Achei o evento muito importante porque a memória da ditadura está quase perdida para a gente. Tenho 27 anos e, provavelmente, jovens de 22 não entendem todas as atrocidades que aconteceram na época da ditadura. O apelo visual do filme é importante para evitar gente falando que o erro foi torturar, como se só torturar não fosse absurdo.”, disse.


Henrique compareceu todos os sábados ao evento e achou importante a temática dos filmes

Um dos organizadores do projeto, Pedro Berenguer, estudante de Cinema (UFPE), afirmou que a próxima programação do evento está prevista para a terceira semana de aula após o recesso. Então, agora é só aguardar o ciclo que está por vir.  

Homenageada, Ana Mae palestrou sobre arte-educação em congresso do SESC
 
          
       Ana Mae falou sobre as mudanças no ensino da arte-educação na história do Brasil

No terceiro dia do V Congresso Internacional SESC de Arte/Educação, os professores Guilherme Castelo Branco (UFRJ) e Ana Mae (ECA-SP) realizaram uma palestra com o tema Vida Artista: Diálogos entre arte/educação e filosofia. No auditório do CCSA, no Campus da UFPE no Recife. Com mediação do professor Alexandre Freitas (UFPE), os convidados explanaram sobre suas carreiras, além do processo de desenvolvimento do conceito de arte-educação.

Aos 80 anos, Ana Mae, homenageada desta edição, falou em sua palestra sobre o sentimento de dualidade em relação à velhice. De tê-la como meta de vida, mas ao mesmo tempo não gostar por conta das fraquezas que ela traz ao ser humano. Além disso, também desdobrou os temas tratados nos seus livros, como o "Teoria e Prática da Educação Artística" (1975) e "Arte-Educação: Conflitos/Acertos" (1984) e as mudanças no cenário da arte educação ao longo da história do País. "Na época da ditadura, o governo tornou obrigatório o ensino de artes nos currículos escolares. Isso era algo um tanto contraditório, porque ao mesmo tempo o ensino era feito de forma muito tecnicista. Desta forma, nunca surgiria um Leonardo da Vinci do século XX no Brasil", analisou.

A professora do curso de dança da UFPE e também arte-educadora Márcia Virgínia ficou satisfeita com a palestra. “Para mim é sempre um prazer rever Ana. Sou formada aqui na universidade e já lecionei em vários lugares, mas é sempre bom receber orientações de diversas fontes em relação à arte-educação. Mesmo Ana sendo de artes visuais, foi uma palestra muito enriquecedora para mim, e ela a realizou de forma fantástica”, disse.

          
        Márcia Virgínia destacou a importância de ouvir as experiências da homenageada

Rodas de conversa e oficinas movimentam o FREPOP
 
       
                            Roda de conversa "O teatro na comunidade", no CFCH

Estudantes, educadores e integrantes de movimentos sociais de todo o Brasil vieram ao Recife para participar da 13ª edição nacional – e 10ª internacional – do Fórum de Educação Popular (FREPOP). As rodas de conversas e oficinas começaram no segundo dia do evento (20 de julho) e se estenderam até o penúltimo (22), no Campus da UFPE no Recife. No primeiro dia as atividades foram abertas com um cortejo de maracatu, que saiu do Casarão da Várzea em direção a UFPE. A programação do último dia contou com uma arena com o tema "Educação popular: reinvenções das estratégias de luta para Hegemonia Popular na América Latina", com participação dos educadores Renato Simões, Marta Centurión e Beatriz Soto. 

Muitos dos participantes vieram pela primeira vez ao FREPOP, como foi o caso das estudantes Dandara Yasmin, 19, e Vitória Lígia, 15, ambas vindas de Lages-RN. “Viemos participar de uma roda de conversa sobre educação integral. Participamos de um grupo que promove ações sobre esse tema nas escolas da cidade e também da Zona Rural”, disse Dandara.


           
Dandara e Vitória vieram do Rio Grande do Norte participar do FREPOP pela primeira vez

Reafirmando tema deste ano, “Educação Popular: democracia e os desafios dos movimentos sociais na construção da sociedade que queremos”, o FREPOP também é um lugar que propicia o diálogo de grupos que lutam em defesa de causas sociais. Diego Renan, membro da tribo Xukuru, de Pesqueira, veio difundir sua luta junto aos participantes do Fórum. “Nosso papel aqui é compartilhar um pouco das lutas dos nossos povos, das antigas e das atuais. As lutas que temos atualmente são focadas nas leis que querem mudar as demarcações dos territórios indígenas”, disse Diego. “É muito importante um evento como esse. As causa sociais são tão fortes atualmente por conta desses momentos, onde a gente pode se encontrar e compartilhar nossas experiências com outros grupos”, completou.
 

Diego acha que eventos como o FREPOP são fundamentais para as lutas sociais 
 
No prédio do Centro de Filosofia e Ciências Humanas, a arte-educadora gaúcha Maria Carmosina ministrava a oficina de teatro. "Acho que o teatro agora tem uma função social, função de metodologia na escola, como instrumentos para os professores, só que não é copiar no quadro, é vivenciar, é fazer, participar das coisas", afirmou.

       
Educadora gaúcha Maria Carmosina veio ministrar oficina de teatro no 13º  FREPOP

IINFANTIL

O segmento do FREPOP adaptado às crianças, o FREPOPINHO, aconteceu no prédio do Colégio de Aplicação. “Uma novidade desta edição foi a participação das crianças na organização do evento, sugerindo temas e atividades”, disse Clédson Reis, facilitador do FREPOPINHO.

  
Crianças participando de atividades no FREPOPINHO
 

Arte e política se unem em mostra no IAC


Os artistas Renato Valle e Christina Machado se uniram através de seus incômodos particulares diante da atual crise política brasileira na exposição “Episódio de um modelo falido?”, que entrou em cartaz no dia 15/07 no Instituto de Arte Contemporânea (IAC), da Universidade Federal de Pernambuco, situado no Centro Cultural Benfica (Rua Benfica, 157, Madalena). A mostra ficou em cartaz até o dia 3 de agosto, com visitação gratuita de segunda a sábado, das 8h às 17h. 

A exposição foi composta por obras criadas durante momentos de reflexões diante dos últimos percursos sociopolíticos do Brasil. Renato Valle levou para a exibição textos e ilustrações que refletiam sobre episódios recentes da política nacional, além da obra “Título congelado” (2016), escultura de gelo que prende no centro o próprio titulo de eleitor do artista. A obra transmite a sensação de aprisionamento e inibição sofrida pelos eleitores.

Já Christina Machado ocupou as salas do IAC com instalação, fotografias e escultura – a exemplo de “1, 2, 3... 33” (2016), representação em argila e ferro de uma vagina que destaca o lado mais orgânico do seu discurso estético, através de um chamado vívido sobre a violência contra a mulher e a luta dos movimentos sociais em alusão ao seu posicionamento à cultura do estupro.


A mostra teve ainda uma parede em branco funcionando como uma espécie de convite a outros artistas, para que expusessem outras opiniões que dialogassem com o tema da mostra, independente do seu posicionamento político.

Sobre os artistas:

Renato Valle – Nasceu e reside no Recife. Tem no desenho a base inicial do seu projeto artístico, mas também se apropriou da pintura, da instalação e da escultura ao longo de mais de 30 anos de atividade. Renato Valle foi diretor técnico da Oficina Guaianases de Gravura entre 1993 a 1995 e já participou de diversas exposições, individuais e coletivas.

Christina Machado – Nasceu em Belém do Pará, em 1957, mas é radicada no Recife desde 1961. Há aproximadamente vinte anos suas pesquisas experimentais com a argila se fortaleceram no meio artístico da cidade do Recife, tendo reconhecimento nacional. Hoje atua através de diversas plataformas artísticas e trabalha temáticas ligadas ao corpo e ao universo feminino. 

 

Teatro Joaquim Cardozo lança edital de ocupação 2016/2017


O Teatro Joaquim Cardozo é um dos equipamentos do Centro Cultural Benfica 

O Teatro Joaquim Cardozo divulgou seu Edital de ocupação 2016/2017. O objetivo foi selecionar propostas para a realização de espetáculos teatrais, que tenham como público-alvo adultos e/ou crianças. As inscrições foram gratuitas e duraram de 04 a 29 de julho.

Puderam concorrer ao processo seletivo discentes, docentes e técnicos da UFPE, desde que estivessem em atividade regular, de qualquer um dos Campi da Instituição, assim como membros da sociedade que não possuam vínculo com a UFPE; os candidatos precisavam ter idade igual ou superior a 18 anos.

O resultado da seleção será divulgado no blog do Teatro Joaquim Cardozo (teatrojoaquimcardozoufpe.blogspot.com) e na página da PROExC, até o final  de agosto.

Mais informações
Coordenação do Teatro Joaquim Cardozo

2126.7388
 

Centro Cultural Benfica oferta cursos teóricos gratuitos sobre cinema, videoarte e música
         
           

O Centro Cultural Benfica, através da diretoria de cultura da UFPE, deu início em julho à primeira edição do Circuito de Oficinas, um projeto que ofereceu três minicursos teóricos sobre tópicos contemporâneos ligados às artes. Sob o tema “Arte, mídia e culturas contemporâneas”, cada uma das oficinas teve três encontros, entre as quartas e sextas-feiras, a partir das 18h30. Todos os cursos foram gratuitos. 

A primeira oficina teve como título “Perspectivas da música pernambucana” e foi ministrada pelo professor de comunicação da UFPE Bruno Nogueira, entre os dias 13 e 15 de julho.  A oficina se propôs a investigar esse percurso, da Rozemblit até as gravações caseiras do chamado Pós-Mangue, realizando escutas críticas, leituras e debates, mapeando artistas que fizeram parte de nossa história musical.

A segunda oficina, que aconteceu entre os dias 20 e 22 de julho, fez uma introdução à história da videoarte. Em “A arte contemporânea através do vídeo”, ministrada pelo jornalista e mestre em comunicação pela UFPE Pedro Neves, foram apresentados conceitos e práticas-chave da arte contemporânea através de diferentes usos do vídeo feitos por artistas dos anos 1960 até os dias atuais. Trabalhos de expoentes como Ed Emshwiller, Marina Abramovic e Paulo Bruscky estiveram no programa do curso.

A jornalista, crítica de cinema e doutoranda em comunicação pela UFPE Carol Almeida ofereceu a última oficina deste ciclo, entre os dias 27 e 29 de julho.  Em “Para além do teste Bechdel: representação da mulher no cinema”, Carol Almeida abriu o debate para uma cinematografia de diretoras mulheres que potencializam o debate sobre a representação de personagens mulheres em cena. 


Mais informações
Centro Cultural Benfica

(81) 2126.8642

Espetáculos, oficinas e debates na segunda edição do Usina Teatral
 
Teatrólogo ucraniano Jurij Alschitz, uma das atrações do evento  
 
Com o propósito de promover o encontro entre estudantes, artistas e pesquisadores da cena do teatro contemporâneo, a segunda edição do Usina Teatral teve início no dia 01/07. O evento, que é realizado pelo SESC em parceria com o Departamento de Teoria de Arte e Expressão Artística da UFPE, teve nesse ano o tema “Pedagogia da cena: o diretor-pedagogo e a cena contemporânea”. As atividades aconteceram até o dia 8 de julho, nas instalações do Centro de Artes e Comunicação (CAC), no SESC Santa Rita e nos Teatros Apolo e Hermilo Borba Filho.

A programação contou com mesas de conversa, oficinas teatrais, círculos de diálogo, exercícios cênicos, além da exibição do documentário da primeira edição do projeto.

Entre os destaques da edição 2016 estavam o aclamado dramaturgo ucraniano Jurij Alschitz, um dos fundadores da Escola de Arte Dramática Anatoly Vasiliev, e Renato Ferracini, ator e doutor em multimeios, e um dos coordenadores do LUME - Núcleo interdisciplinar de Pesquisas Teatrais da UNICAMP, ambos instrutores de oficinas e palestrantes do evento.

A abertura aconteceu no Teatro Milton Baccarelli, no CAC, com a mesa “Pedagogia no Teatro x Teatro como Pedagogia: construção e desconstrução das diferentes abordagens do ensino do Teatro”, com participação de Flávio Desgranges, diretor teatral e professor do Departamento de Artes Cênicas da Universidade de São Paulo.

 
       Participe do Notícias da PROExC

Tem sugestões de notícias sobre a Pró-Reitoria de Extensão e Cultura e quer compartilhar? Entre em contato através do e-mail proext.bureaudesign@ufpe.br.


 

07/08 - Simone
13/08 - Djanyse
18/08 - Suellen
22/08 - Jéssica Francielle                 
Facebook
Email
Twitter
Coordenação: Simone Germano
Colaboração: Camila Martinelli, Guilherme Carvalho, Luiz Eduardo Oliveira,
Maíra Sthefane, Milena Fernandes e Natalia Abdon






This email was sent to <<Email Address>>
why did I get this?    unsubscribe from this list    update subscription preferences
PROExC UFPE · Av. Prof. Moraes Rego, 1235 - Cidade Universit�ria · Recife, IA 50670-901 · Brazil

Email Marketing Powered by MailChimp