Copy
Olá, estamos enviando o quinto número das notícias do campo.
Desejamos uma boa leitura!
O informativo para agentes da transição - 
agroecologia, soberania alimentar e movimentos sociais 
Mais informações
www.agroecoculturas.org 

Nº 5 - 25 de janeiro 2017
O email não se visualiza de forma correta? Veja no seu navegador
Davi contra Golias - a agricultura campesina e o poder das multinacionais

Parece que as grandes empresas de capital internacional estão ganhando na sua cruzada contra os pequenos agricultores e agricultoras. A última notícia da compra do gigante das sementes transgênicas Monsanto pelo gigante agroquímico Bayer, sediado na Alemanha, despertou para a crescente concentração das indústrias. São somente dez empresas, que dividem o mercado dos insumos agrícolas, e outras dez grandes empresas, estão dominando o mercado da produção e venda de alimentos industrializados.
incorporação da Monsanto à Bayer é somente a ponta de um iceberg; em toda a cadeia alimentar estão acontecendo processos de concentração com uma enorme dinâmica. As multinacionais da agroindústria, da indústria alimentar e do comé
rcio estão industrializando toda a cadeia alimentar da produção do campo até as lojas, expulsando cada vez mais agricultores dos campos e inviabilizando a agricultura familiar. O enfoque das empresas e governos está na produtividade e na luta pelos mercados. Ou seja, o sistema é orientado no lucro, e não na produção de alimentos.

Os elos mais  frágeis nessa cadeia são as agricultoras e os agricultores, as trabalhadoras e os trabalhadores rurais e ao final os consumidores de baixa renda.
   
Estão piorando as condições de trabalho e os salários, contribuindo para os  problemas climáticos  e  ambientais, e com o crescente poder, as regras e leisão barradas pelos lobistas das grandes empresas. Os sistemas agroalimentares deveriam ser construídos de forma democrática, mas a sociedade civil é cada vez mais censurada, intimidada e desencorajada.

Mas onde o perigo aumenta, também cresce a salvação, como disse o poeta alemão Friedrich Hölderlin.
Os movimentos, que lutam contra a agroindústria promovendo sistemas agroalimentares alternativos, 
estão crescendo. Há poucos dias organizações alemãs lançaram o Atlas das multinacionais 2017, que dá visibilidade à concentração dos mercados e demandaram medidas políticas.
Leia o artigo sobre o Atlas 2017
Enquanto esperamos por mudanças nas políticas, o melhor é iniciar desde já com a construção de uma agricultura ecológica e justa, seguir os princípios da agroecologia, apoiar a agricultura familiar ecológica da região, formar grupos de consumo solidário e criar hortas urbanas, como alternativas sustentáveis frente ao sistema agroindustrial petroquímico.
Visite a plataforma agroecoculturas!
Compartilhe
Tweet
Divulgue

Encontro Campo, Comida & Cidadania

Estamos avançando com as entrevistas, aqui apresentamos o trailer do encontro com Aurigele Barbosa, diretora de programas da ADEL - Agência de Desenvolvimento Local Econômico. É uma ONG, que foi fundada em 2007 por cinco estudantes de Pentecoste, município do estado do Ceará. Eles finalizaram seus estudos e voltaram para a sua terra para mostrar, que é possível viver no campo. Veja a entrevista completa no encontro online, que vamos realizar do dia 11 a 18 de março de 2017.
Inscreva-se já e receba um presente de boas vindas, o Guia do encontro "Campo, Comida & Cidadania".

Inscrevá-se aqui
segue no facebook
Website
Encontro Campo, Comida & Cidadania
Veja o trailer do diálogo com Aurigele Barbosa, diretora de programas da ADEL - Agência de Desenvolvimento Econômico Local, Pentecoste, CE - sobre as perspectivas da juventude no campo.

Eventos internacionais

O Davos da Agroindústria provoca debate sobre as políticas agrárias na Alemanha

 
Do dia 21 a 29 de janeiro, se realiza em Berlim, a “Semana Verde” (Grüne Woche), a maior feira internacional para a agroindústria e alimentação, considerada o “Davos do Agronegócio”.
No início desse ano, em Berlim, aconteceram intensos debates contra as políticas públicas de apoio ao agronegócio.  
Várias o
rganizações da sociedade civil realizaram debates, ações e uma manifestação, que contou com mais de 18.000 participantes.
 

Leia o artigo na íntegra http://agroecoculturas.org/cada-vez-maior/

Experiências da ASA Brasil apresentados na abertura da feira internacional "Semana Verde em Berlim"

Marilene Alves de Souza, do Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas Gerais, Brasil (CAA), e representante da ASA Brasil, esteve presente na abertura do Fórum Global de Alimentação e Agricultura (GFFA – Global Forum Food and Agriculture), no dia 19 de janeiro em Berlim, Alemanha, onde defendeu o potencial da agricultura familiar agroecológica para alimentar o mundo. O tema do Fórum, que antecipa a Feira Internacional de Agricultura e Alimentação, é agricultura e água.
A representante do CAA questionou a presença de Greg Koch, supervisor do manejo de água e colocou que “a Coca Cola não é um alimento, e usa água, que é um bem comum”. Convidada pela ONG alemã Brot für die Welt, falou das ameaças que a agricultura familiar sofre pelo avanço do agronegócio, especialmente no Cerrado, que é a caixa d'água do Brasil. As monoculturas, fertilizantes e pesticidas ameaçam os rios do país, como o Rio São Francisco, e os investimentos para monoculturas na região conhecida como Mapitoba, que envolve os estados do MA, PI, TO e BA onde também se planta soja, que é consumida na União Europeia.

 

Eventos nacionais
Brasília será sede do VI Congresso Latino-americano de Agroecologia, o X Congresso Brasileiro de Agroecologia e do V Seminário de Agroecologia do Distrito Federal e Entorno no ano de 2017.
O evento será realizado no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, nos dias 12 a 15 de setembro, quando se comemora a Semana do Cerrado, bioma este, que abriga grandes disputas da sociedade, tais como: fundiária, mineral, ambiental, cultural, desenvolvimentista e agrária.
Saiba mais:
http://extranet.emater.df.gov.br/agroecolatina2017/index.php
compartilhar
twittar
Enviar

Publicações

Material com técnicas de cultivo de alimentos orgânicos

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) lançou as “Fichas Agroecológicas: Tecnologias Apropriadas para a Produção Orgânica” de forma resumida, em linguagem simples e acessível aos produtores rurais. Como princípios básicos para a aprovação de uma ficha, estão os de que a tecnologia divulgada esteja de acordo com os princípios e normas estabelecidas pela legislação brasileira da produção orgânica e que seja resultado de processos gerados ou validados por pesquisas científicas, ações de construção participativa do conhecimento ou de experiências práticas dos produtores. 

Acesse aqui as fichas 


Chamada de Artigos

A revista REDES (UNISC) convida para a submissão de artigos científicos ao dossiê temático “Agroecologia”. O objetivo é reunir e publicar um conjunto de textos "para atualizar e tornar acessíveis reflexões relevantes para o avanço do campo agroecológico e fortalecimento da Agroecologia como ciência. A agroecologia oferece ferramentas para a construção de agroecossistemas mais sustentáveis aproximando-se assim de uma concepção sustentável de desenvolvimento regional, por possibilitar alternativas viáveis no campo e na cidade." O prazo para a submissãoão conforme as normas da revista é 6 de marco de 2017.
 veja a chamada



Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial-Compartilha Igual

Nosso email é:
agroecoculturas@gmail.com



Gostaria mudar a forma do recebimento dessas notícias?
Pode atualizar suas preferencias o cancelar sua assinatura
 






This email was sent to <<Seu email>>
why did I get this?    unsubscribe from this list    update subscription preferences
Frau · Bänschstr. · 14 · Berlin 10247 · Germany

Email Marketing Powered by Mailchimp